sábado, 24 de maio de 2014

Morena, Preta ou Parda?


28 comentários:

  1. Que texto lindo! Sua história é bem parecida com a minha, parece que você estava narrando minha vida, como eu me sentia etc.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. ok, posso entender tudo isso! Mas se tu tem a pele parda e o cabelo liso e nao tem os tracos de negros, sua mae eh branca e seu pai mulato tu tens que dizer q eh negra por causa da cor da pele? E seu lado branco da sua mae, de olhos azuis ou verdes, que te pariu que te criou, oq tu faz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso acho que cabe a pessoa definir como se identifica. Só ela mesmo para saber o que ela é, como ela se sente. Minha esposa não se considera negra, apesar de ter varios traços, mas ela tbm tem muitos traços indigenas, até se sobressaem sobre os traços negros, mesmo sem se considerar india. Tem uma irmã quase loira, outros brancos. Ela não se identifica como de cultura negra, como mulher negra (eu já acho que ela é), por isso, por decisão pessoal dela, ela não se considera negra.

      Mas se quisesse assim se considerar, se consideraria, teria esta liberdade. Assim como a pessoa hipotetica que vc falou.

      Alias, para mim é facil ter um argumento assim, pois sou branco... E vc tbm deve ser. Acredito que simplesmente não temos direito de ficar argumentando. Estamos de fora.


      PS: eu sempre acho que o termo 'moreno' se aplica a pessoas brancas de cabelo preto/castanho. Assim sendo, eu sou moreno. Acho muito estranho uma pessoa negra ser chamada de moreno. Agora a pouco uma pessoa me falou: "ve aquela mulher morena sentada ali? Quer falar com vc", e fiquei procurando uma mulher morena, mas só vi dois velhos, uma mãe branca e sua filha de colo e uma mulher negra. Perguntei: "qual?", e meu interlocutor falou sobre a cor da blusa dela. Só ai entendi que era a mulher negra, e falei isso para meu interlocutor, que se sentiu ENVERGONHADO de ouvir esta palavra. Detalhe: meu interlocutor é loiro, branquissimo, de olhos claros...

      Excluir
    2. Moro na Bahia e até aqui, onde tem mais negros no Brasil, as pessoas têm receio (ou vergonha) de chamar de negro. Acho que soa feio. Mas aqui é comum chamar de negão, é elogio.

      Na verdade, se olhar pelo lado histórico do Brasil, neste país somos todos miscigenados (mistura de índio, negro e branco luso-português). Se me dessem uma camisa 100% mestiço eu usaria com maior orgulho, mas o mesmo não ocorreria com uma camisa escrita 100% negro ou 100% branco. Como diz Gabriel O Pensador: ...no Brasil somos todos mestiços...

      Excluir
    3. Meu pai é negro,e minha mãe branca,porém meu avó paterno era branco de olho azuis,minha avó paterna é negra e meus tios nasceram de tons variados,já minha familia materna são brancos de olhos azuis ou verdes,e eu nasci de pele negra,olhos escuros,cabelo liso,e o unico traço negro que tenho fora a pele seria minha boca,muitos dizem que sou indigena,pois os traços mais marcantes se parecem com indios,mais me declaro negra.

      Excluir
  3. Show de bola. Todavia toda essas conquistas se tornam meio frustrantes, quando na criação de uma lei/ou Resolução - CNJ 203/2015 - têm-se denominação cor "Parda" !! Lamentável. Que cor é essa ??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pardos são mestiços, eu sou amarela, cabelos lisos me identifico como parda

      Excluir
  4. Me identifiquei demais, nossa! Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
  5. Texto maravilhoso, Sou negra e meu marido branco... nossa filha tem 8 anos e é morena, com os cabelos longos bem cacheados, apos uma reflexao decidi pesquizar de como as pessoas lidam com a miscigenação dos seus e que raca seria determinante a ela, pois sempre disse a ela que assim como eu ela era negra e ela ficou muito triste pois ela teria orgulho de ser linda, bem pretinha como eu... ai, fiquei orgulhosa, pois para mim e simples, é Preto ou branco...lamentável e feio ver que algumas pessoas rejeitam sua cor para nao serem discriminados... 😯

    ResponderExcluir
  6. Algumas coisas quando o assunto é cor da pele me deixam um pouco estarrecido. A autora do texto se considera negra, ótimo, é uma escolha dela. Mas será que todos os mestiços tem que se considerar negros? Por quê? Pela lógica de, se negar isso estará sendo preconceituoso com sua etnia? E a outra metade? Por essa mesma lógica, ele estaria sendo preconceituoso com seu lado branco, já que um mestiço é a mistura de um negro com um branco -_-

    É por isso gosto das definições pardo, mulato, mestiço... assim não dá confusão!!

    ResponderExcluir
  7. Você é MULATA SIM, como eu também sou,não deixe que extremistas do ativismo negro te contamine com ódio aos brancos, idéia importada dos negros americanos, a birracialidade, você não é branca e nem negra, eu digo aos outros que sou MULATO origens negra, branca e indigena, vou considerar só a origem NEGRA? NÃ0.

    ResponderExcluir
  8. Nesse sentido, eu sofro bastante, mesmo com descendência afro nunca fui negra de mais pra me considerar negra e tão pouco branca de mais pra me considerar branca... O drama do mestiço de não ter caráter. Bem à lá Macunaíma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem drama..Somos brasileiros n temos uma so etnia, e não tem porq tentar se encaixar em uma..Sou marrom,amarelada cabelos lisos, boca fina, olhos pequenos e levemente puxados,e nariz tipicamente negro...Sou oq? Brasileira é o suficiente.

      Excluir
  9. Mais uma balela dos vitimistas ´´identificadores``.
    Não faz diferença como você se identifica, você é o que você é, identidade não está aberta para decisões, você nasce com uma raça, nacionalidade e etc e não importa se você se sente hetero, negro, mulato, japones, você é o que nasceu e pronto, sem destino/sem escolha, puro acaso.
    Se vocês tem crise de identidade ou existencial, vão procurar uma religião ao invés de tratarem de uma ideia como algo sagrado, patético.
    Raças são tão importantes quanto características físicas, se você é corcunda vão te chamar de corcunda, se você é gostosa vão te chamar de gostosa, se você é marrom vão te chamar de mulata, se você é branco(normalmente) vão te chamar de algo em relação a sua personalidade ou corpo, essa é a cultura do normal, na África do sul as negras não são chamadas de pretas ou negras, pq é normal ser negro lá, é tudo uma questão de geografia cultural.
    ´´ser negro nesse país é ruim, é pesado`` Não, não é, é como ser velho, travesti,ou qualquer outro estigma social, É INCOMUM, UMA ANOMALIA, UMA MINORIA, e minorias no Brasil são tratadas como Deuses, então sua reclamação é totalmente inválida, olha os comentários, tem gente branca 95% caucasiana se identificando negra pq não estudou história, só num país retardado desses...
    Morena é um apelido popular pra marrom, negros são marrom muito escuro ou preto, senão é mulata, e isso não é racismo, isso é diferença racial, racismo seria dizer quais raças são inferiores ou superiores, ou as diferenças biológicas e culturais de cada uma, o resto é simplesmente educação e ciência, vão estudar seus idiotas.

    ResponderExcluir
  10. Nossa que texto mais lindo! Até me emocionei lendo! Concordo inteiramente com tudo que disse! Temos que ter orgulho de quem somos! Você é linda do jeito que é! Feias são as pessoas que disseram o contrário quando era pequena!! Feias por dentro!

    ResponderExcluir
  11. Assim, acho que eu sou pardaq, não sou negra não!!! Queria ser negra mas sou parda

    ResponderExcluir
  12. Nossa... Como eu me identifiquei. Sinto a mesma coisa que a Luna Gouvêa. Minha mãe é branca (embora ela se diga parda) e meu pai é negro. As pessoas não me acham negra o suficiente pra ser negra e eu nunca me achei branca pra ser chamada de branca. As pessoas da minha família sempre se referem à mim como "neguinha", muuuito carinhosamente. Desde criança aprendia na escola que se, um o pai ou a mãe fosse negro e o outro branco eu seria parda. Frequentemente as pessoas se referem à mim como "aquela morena", é não é pela cor do cabelo e sim a cor da pele. Quantas vezes cantaram pra mim "Morena Tropicana". E sempre aceitei essa condição...
    Mas de um tempo pra cá venho me questionando. Não me vejo branca, nunca me vi. Seu que tenho traços indígenas por causa da família do meu avô, mas há mistura com negros.
    Na infância sofria e me sentia muito feia por causa do meu cabelo "fuá". Acabei alisando...
    Sei que me sinto pertencente ao grupo negro, mas acho que diriam que sou clara demais para tal. No fim das contas fica a dúvida: para todos os fins, importa como eu me vejo ou como um determinado grupo social me enxerga?

    ResponderExcluir
  13. Obrigada pelo texto de todo coração!

    ResponderExcluir
  14. Olha, sou filha de pai negro (nigeriano) e mãe branca. Meu cableo é crespo e tenho mais traços negros do que brancos. Embora tenha no registro a cor branca, me considero mestiça/mulata, e segundo o IBGE, enquadraria como negra. Não vejo problema quem é mestiço se identificar como pardo, mestico ou mulato. Não sou preta, mas não sou branca.

    ResponderExcluir
  15. As pessoas tem mania de generalizar por cor, eu me considero morena, mas as pessoas racistas falam que sou negra, a pele negra é linda não tem o que se envergonhar. Vergonha é se achar melhor que o outro por essa e outras besteiras, mas tb. Sou justa em dizer que a pele morena, não são pessoas brancas com cabelos negros, e sim a mistura do branco com o negro, que cor fica quando misturamos o leite com café 🍵 ele fica só branco ou só preto, não ele fica marrom, e pele morena tem vários tons tipo, mameluco, cafuzos e outros. Então se for ver do lado racista que nome daríamos as pessoas de pele branca, olhos claros, porém de nariz largo, cabelos crespos e lábios bem grossos? E pessoas de pele bem escura, cabelos lisos, olhos tb. Claros, mas de nariz e lábios finos? Os traços contam mais que. A cor. E independente disso o que importa é o caráter e ser feliz ☺ pois todos nós independente de raça, cor. Finanças iremos acabar de baixo da terra. Somos todos iguais.

    ResponderExcluir
  16. Eu sinceramente não sei onde me encaixo, pq não sou branca e tbm não sou negra.
    Li em alguns blogs q pardo e moreninha é termo pejorativo (Não sei se escrevi certo), mas sempre me considerei assim.

    ResponderExcluir
  17. Eu sou parda e mestiça. Minha família é composta por brancos, indígenas e negros. Minha mãe tem a pele escura e o cabelo liso porque minha avó era filha de índia com branco e meu avô filho de índia com branco. Meu pai é branco filho da minha vó que é branca filha de negra com branco. Meu avô filho de português com mestiça de índia com negro. Minha vida toda fui chamada de morena. Na escola, me chamavam de índia pra me zoar. Uma vez um professor me chamou de mulata porque onde moro acham que todo mestiço vem só de negro e branco, mas não sou daqui. Minha mãe é de MG onde se deu a maior mistura da história do Brasil. Meu cabelo é fino com cachos nas pontas. Meus traços são finos. Minha pele avermelhada. Na faculdade já me chamaram de negra e também já me chamaram de índia, tudo pra atacar minha identidade mestiça. Me identifico como parda e mestiça. Isto não é me embranquecer. Reconheço todas as minhas raízes. E outra: colocam pardo como negro, mas nunca colocam um pardo pra aparecer como negro quando o assunto é representatividade. Sem falar que minha irmã que tem a pele branca e os traços mais largos foi criticada quando foi pôr trancinha, sendo que antes na escola falaram pra ela se identificar como negra. Também no salão de beleza natural sempre ficam falando que nosso cabelo é liso só porque não é afro.

    ResponderExcluir
  18. olá
    meu pai é bem "cor de papel de pão" (lendo vejo o quão racista é o termo), um negro de cor clara mas com todos os traços fortes, nariz, altura etc. Ele não se considera negro, sempre diz que é "moreno", sei que existe um fato histórico dos ultimos 62 anos para cá, pois ele foi adotado por uma família de brancos que nunca o ensinou a se amar, a valorizar a beleza negra. Todas a mulheres com que ele se casou foram brancas, inclusive minha mãe. Eu sou branca, minha pele não sofre com o sol, como alguns de meus irmãos também filhos dele que não podem pegar sol, o sol não machuca minha pele com o vermelhidão. Eu sei que sou branca, privilegiada, não é facil lutar contra seus privilegios assim como é uma missão acabar com o racismo em pessoas que são da minha cor e dentro da minha propria familia por parte de mãe, todos totalmente brancos. Luto, pois meu pai é a minha inspiração, assim como meus avós e antepassados anteriores que não conheço, tenho amor por eles. Muitos dos comportamentos do meu pai são de pessoas do continente, não ser preso a caixinha cartesiana eurocêntrica por exemplo, e os seus defeitos poderiam ser muito melhorados se ele resgatesse suas raizes. Os defeitos e suas consequências são porque ele não nasceu privilegiado...
    Algumas pessoas de pele mais escura não o consideram negro, em um momento achei que as vezes por isso ele não se considerasse. Mas ler seu post "a divisão de tonalidade prejudica", entendo, pois uma das táticas dos Senhores Escravocratas era causar brigas entre negros de tons de pele diferentes.
    Vai ser bom mostrar esse post ao meu pai,
    Agradecemos,
    Bless,

    ResponderExcluir