sábado, 31 de maio de 2014

Gostando mais de nós mesmas


domingo, 25 de maio de 2014

Cor da Pele, qual a sua?




Meia cor da pele, que pele?



Desde crianças nós ouvimos falar em coisas "cor da pele", eu sempre achei bem engraçado porque pessoas pretas, de pele retinta colocavam meia cor da pele porque alguém dizia que a tal meia é perfeita pra combinar com alguma roupa, a promessa era de que a meia cor da pele ficaria transparente porque teria a mesma cor da pele da pessoa, mas... de qual pele eles falavam?
Certamente não é a pele preta. Nunca falavam bem da nossa pele, nada foi feito pra nossa pele, nós sempre fomos "as outras", como se o normal fosse ser branco e qualquer coisa que fuja disso precisasse de adaptações pra viver. Estas coisas mínimas como uma inocente meia, coloca dentro de nós um sentimento estranho que demora pra que a gente entenda o que é, e muitas vezes passamos a vida toda sem saber como descrever e nomear esse desconforto que sentimos. As pessoas não negras não conseguem entender o que é ser excluído das mínimas coisas, por isso quase sempre nos dizem que estamos exagerando, fazendo tempestade num copo d'agua. Claro, pra quem esta representado em tudo e tudo e não se sente deslocado nas tarefas mais simples é fácil. Mas pra quem nasce aprendendo que o outro é bonito e o normal é ser o outro , por mais que se ame, precisa de reeducação pra se livrar do reflexo branco que enxerga no espelho. Todos esses sentimentos entram em nós sem que a gente dê permissão, a gente nem percebe porque é tudo bem silencioso. Nós só sentimos a dor.

O truque dos racistas, é transformar o racismo em algo normal, corriqueiro, um sentimento e uma ação que se escondem nos mínimos detalhes, algo que seja capaz de ferir as pessoas de pele negra e que ao mesmo tempo faça com que as pessoas brancas não percebam que é grave. Assim o racismo é naturalizado e normatizado na rotina de todo mundo virando uma daquelas coisas desagradáveis que  incomodam mas não precisam de muita atenção. Tipo chuva na hora de sair de casa sabe? a maioria das pessoas brancas enxergam o racismo do dia a dia assim, é um problema mas nem tanto, e se é simples, pra que reclamar toda hora?  Todos conseguem enxergar racismo em xingar uma pessoa negra de macaco mas muitas tem problemas em aceitar que é racismo usar a frase "cor da pele " para roupas e acessórios que só servem para um tipo de pele. Por isso coloquei abaixo um curta bem bonitinho que trata dos efeitos da normatização da cor branca nas crianças pretas.  O curta tem só 13 minutos, vale a pena!




A meia preta também é cor da pele

Então queridas, quando alguém falar que alguma coisa é cor da pele, não seja tímida e questione: Cor de que pele? Se o tempo todo somos vitimas de racismo, se é nas pequenas coisas que ele se esconde, nós precisamos agir também nas pequenas coisas, não deixe passar em branco. Questionar também é uma forma de se impor, ensinar as crianças que é normal ser preto, é normal ser marrom, branco e tantas outras cores possíveis e assim minimizar os danos do racismo nos futuros adultos. Normatizar as nossas cores faz parte do processo de nos tornarmos negras porque ninguém quer ser negra como o passado, negra como o piche, negra como os escravos e todas as comparações ruins que fazem com nossa cor. Mas todas nós precisamos reconhecer que somos negra como a noite, preta ou marrom como o chocolate, cor preta que descende de africanos que foram reis, rainhas. Preta é a cor de pessoas bonitas e feias, altas e baixas, preto é cor de gente comum que chora e ri, homens e mulheres que tiveram o passado negado, escondido e embranquecido, por isso é motivo de orgulho conhecer nossas belezas, nosso passado e escrever um futuro diferente. Pra nós é um mundo novo que se abre, então não tenha vergonha de se reconhecer como rainha preta, porque você é!


sábado, 24 de maio de 2014

Morena, Preta ou Parda?


segunda-feira, 19 de maio de 2014

Gordofobia é Papo Feminista


sexta-feira, 16 de maio de 2014

Obesidade NÃO é o botão do seu jeans não fechar.


terça-feira, 13 de maio de 2014

Falsa Abolição - TARJA PRETA




Tô cansada do embranquecimento do Brasil,

Preconceito, racismo, como nunca se viu.
Foi a barbie que carreguei até chegar na minha adolescência.
Porque não posso andar no estilo da minha raiz?
Na novela sou empregada,
Na Globo sou escrava,
Não me dão oportunidade aqui pra nada.
SOU REVOLUCIONÁRIA NEGRA CONSCIENTE!

Não uso o corpo, eu não me mostro, eu uso a mente!
Sou afrodescendente,
Você tem que me aceitar assim.
Cabelo enraizado é bom pra mim.
Patrão puto que não me contrata na sua empresa,
Porque não tenho olho claro ele não me aceita.
Entro no seu comércio,
Eu gasto, eu consumo,
Ai vc me aceita, isso é ABSURDO!
Dinheiro não tem cor, mas pra trabalhar tem.
Há muitos negros vencedor, eu digo amém.
Negra mudando de cor não é normal,
Pra poder se aceita no mundo do real.
Não troco minha raça por nada.
Essa é minha casa,

Mais uma negra militante mostrando a cara!Branco correndo, tá atrasado,
Preto correndo, tá armado,
E é tiro da polícia pra todos os lados.
GENOCÍDIO, cresce no meu povo negro,
Por que temos que morrer?
Só por que somos pretos?!?
Ah! POLÍCIA RACISTA!
Raça do diabo!
Estão nas ruas correndo pra todos os lados,
Consangüínea nos olhos, em desespero.
Pegam um negro estudante e falam que é suspeito.
20 de novembro não nasceu por acaso,
Zumbi dos Palmares lutou e foi executado.
Teve sua cabeça cortada, salgada, espetada
num poste em Recife, na luta pela causa.
SOU QUILOMBOLA DESCENDENTE DO GUERREIRO ZUMBI!

Não é você sistema opressor que vai me impedir de sorrir.
13 de maio, a Falsa Libertação dos escravos.
A princezinha que nos livros e nos condenou,
O sistema fez ela passar como adoradora,
Não nos deu educação e nem informação.
Lei do sexagenário, aí foi tiração.
Libertar os negros velhos sem nenhuma condição.
Lei do ventre-livre, ou do condenado?
Pequenos negros sem pai, pra todos os lados!
Na escola não aprendi, aprendi na escola da vida.
Estudei, me informando atrás de sabedoria,
Nossa cultura esquecida, apagada, queimada!
Na escola nunca ouvi fala de Dandara!

Somos obrigadas a aprender o que é de fora.
Europa, oriente, essa cultura menor,
Discrimina as religiões afro-brasileiras,
Falando que é do diabo, que é coisa feia.
Mas temos que nos mexer, pra acreditar,
Pra obter conquista é preciso reivindicar!!!

Refrão
Meninas negras não brincam com bonecas pretas,
Se somos todas iguais, por que vc não me aceita??